Novabase

2016 em Análise

2016 em Análise

CAROS ACIONISTAS,

2016 foi marcado pela venda do negócio de Infrastructures & Managed Services (IMS), um passo decisivo no reposicionamento que temos vindo a fazer para focar e reforçar a nossa internacionalização.

luis-paulo-salvado

No novo perímetro de negócios, a atividade internacional cresceu para perto de 60% do total, dos quais 2/3 na Europa. Construímos soluções em mais de 35 países que tornaram a vida dos nossos clientes mais simples e mais feliz. Acreditamos que este é o resultado do investimento que temos feito na diferenciação das nossas ofertas e na aposta em metodologias centradas nas pessoas, como o Design Thinking ou a Gamificação.

O EBITDA contraiu 51%, penalizado pelo custo extraordinário de 7 M registado num projeto. Os Resultados Líquidos aumentaram 29%, beneficiando da mais-valia da operação de alienação da IMS. O ano também foi positivo na geração de Cash, com um incremento de 14 M, o que permitirá propormos na próxima Assembleia Geral o pagamento de um dividendo de 0,15 por ação, um crescimento de 25% face ao ano anterior.

Mantivemos o investimento no nosso Talento, alargando-o através da Novabase Academy e valorizando-o com formação em diversas competências. Lançámos iniciativas-piloto inovadoras, como o NOVA, um programa de gestão da motivação e do desempenho especificamente desenhado para os millennials, que correspondem já a mais de 2/3 dos nossos colaboradores. Destaco também as nossas ações para capacitação das Lideranças, nomeadamente o programa
Leadership Gym, que tem como objetivo desenvolver o nível de consciência das nossas chefias.

Olhamos para a valorização de 18% da nossa cotação em 2016 como o reconhecimento, pelo mercado, do nosso trabalho e dos resultados que alcançámos, só possíveis graças à dedicação de uma equipa de mais de 2000 pessoas, a quem agradeço. Tal como aos nossos clientes e parceiros, que têm feito connosco esta viagem. E a si, caro acionista, pela con ança que tem depositado em nós.

Por tudo isto somos cada vez mais a tecnológica centrada nas pessoas ou The People Centric IT Company. Deixo-lhe uma promessa: continuarmos. A sentir o desejo de mudar o mundo. A ver o passado como algo que nos orgulha, mas a manter os olhos postos naquilo que realmente nos move: o futuro. Sempre. Sempre!

Luís Paulo Salvado

Presidente do Conselho de Administração

* campos obrigatórios